Vai viajar? Saiba como evitar a síndrome do viajante

Saber como evitar a síndrome do viajante é algo que tem que estar no radar de todas as pessoas que viajam, principalmente em longas distâncias.

A síndrome acontece quando uma pessoa passa muito tempo sentada em uma só posição e sem se locomover, o que ocorre geralmente nas apertadas poltronas de avião.

Às vezes, quando se está sentado na janela e não se quer incomodar os vizinhos de poltrona, o viajante acaba evitando se levantar. É aí que mora o perigo.

A partir de então, a síndrome pode desencadear a formação de trombos ou coágulos nas veias das pernas, e como consequência, pode levar à morte.

Ficou curioso para saber mais sobre o assunto? Então continue acompanhando o nosso artigo!

 como evitar a sindrome do viajante

Sintomas da síndrome do viajante

A síndrome do viajante é também conhecida como Trombose Venosa Profunda (TVP). Sua causa se dá pela coagulação do sangue no interior das veias.

Se os seus pés ficarem inchados todas às vezes que passar um período maior sentado, fique alerta e procure por um médico imediatamente.

Devido aos fatores hormonais, as mulheres são mais propensas a adquirir a TVP.

Portanto, se na viagem você sentir um leve incômodo ou dormência nas pernas, levante imediatamente, beba um copo de água e permita que a circulação do seu corpo volte ao normal.

O ar seco da cabine do avião e a desidratação, por exemplo, são outros grandes fatores que podem desencadear a síndrome do viajante.

Algumas pessoas acreditam que a síndrome pode atingir apenas os viajantes de avião. No entanto, ela pode afetar também viajantes de carro e de ônibus.

Se você já teve varizes ou um histórico de trombose, é possível que a síndrome se manifeste com mais facilidade. Os obesos também são mais suscetíveis ao problema.

É extremamente importante saber para evitar a síndrome do viajante que os sintomas são normalmente sentidos após a viagem, ou seja, quando a pessoa chega ao seu destino, podendo ser considerado como um mal súbito.

3 dicas de como evitar a síndrome do viajante

Após compreender melhor do que se trata a síndrome do viajante e quais os sintomas, nós separamos algumas dicas para você evitar o problema!

  • Movimentação

A primeira dica consiste em se movimentar. É isso mesmo! Se você estiver viajando de avião, lembre-se de que a cada duas horas é imprescindível levantar da sua poltrona e fazer uma breve caminhada pelo corredor.

Além de evitar os sintomas, você estará movimentando todos os membros do corpo, o que fará com que sinta menos cansaço.

Se possível, faça alguns exercícios rápidos, como ficar na ponta dos pés forçando a panturrilha.

Se preferir, gire os pés para ambos os lados. Lembre-se também de esticar os braços. Prossiga até se sentir relaxado.

Não sinta vergonha por isso, já que essa prática pode salvar a sua vida.

Na verdade, se alguém fizer alguma observação, diga que você simplesmente sabe como evitar a síndrome do viajante e que está disposto a ajudar quem tem dúvida.

  • Beba água

Não é novidade para ninguém que beber água faz bem para a saúde em qualquer ocasião, não é mesmo?

Para evitar a síndrome do viajante, você deve ingerir muita água.

Além de hidratar o seu corpo, a água tem o benefício de mantê-lo disposto e saudável durante a viagem.

É importante se alimentar muito bem antes do embarque. Evite ingerir bebidas alcoólicas, já que estas anulam o efeito saudável da água no organismo.

  • Meias de compressão

As meias de compressão são excelentes aliadas para evitar a síndrome do viajante.

Basta colocá-las durante as viagens mais longas, e assim, elas vão agir auxiliando a circulação do sangue dos membros inferiores, reduzindo, portanto, os riscos de trombose.

É válido lembrar que ao viajar é primordial evitar roupas muito apertadas. Procure se vestir de modo confortável.

Além disso, é importante procurar um médico antes de realizar qualquer viagem para uma avaliação geral das condições de saúde.

Se deseja se sentir mais confortável e confiante, é interessante contratar um seguro de viagens que forneça cobertura para atendimento médico e também hospitalar.

E você? Já teve algum desses sintomas quando viajou? Faça um comentário no nosso post nos contando como foi a sua experiência. Em caso de dúvidas, sugestões ou esclarecimentos, entre em contato conosco e peças outras dicas de como evitar a síndrome do viajante.

Aproveite para compartilhar este artigo nas suas redes sociais. Assim, você ajuda outras pessoas.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *